Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

No comando: 00:00/01:00 VELHARIA

Das 00:00 às 01:00

No comando: 00:01/04:00 Madrugadão

Das 01:00 às 04:00

No comando: 04:00/06:30 Morning Usa

Das 04:00 às 06:30

No comando: 06:30/08:00 Coracao Sertanejo

Das 06:30 às 08:00

No comando: 08:00/10:00 Mpb com Você

Das 08:00 às 10:00

No comando: 10:00/12:00 Ponto do Amor

Das 10:00 às 12:00

No comando: 12:00/16:00 Show da Tarde

Das 12:00 às 16:00

No comando: 16:00/17:00 Esquenta

Das 16:00 às 17:00

No comando: 17:00/19:00 Happy Hour

Das 17:00 às 19:00

No comando: 19:00/20:00 Voce que manda

Das 19:00 às 20:00

No comando: 20:00/22:00 Show Time

Das 20:00 às 22:00

No comando: 22:00/23:00 Top Hits

Das 22:00 às 23:00

No comando: 23:00/24:00 Usa Pop Brasil

Das 23:00 às 24:00

Menu

NOVEMBRO ROXO – Data marca conscientização sobre cuidados com a prematuridade

Em todo o mundo, 15 milhões de crianças nascem prematuras todos os anos. No Brasil, são, em média, 330 mil bebês ao ano que nascem antes das 37 semanas de gestação. De acordo com o Ministério da Saúde, 11,7% de todos os partos feitos no país ocorrem antes do tempo. Ocupamos a 10ª posição entre as nações onde são registrados mais casos de prematuridade.

Um outro dado, da Organização Mundial de Saúde (OMS), afirma que a prematuridade, em 2019, foi a principal causa de mortalidade em todo o mundo. E para chamar atenção para a causa em todo o mundo e conscientizar a população, o mês de novembro é dedicado à sensibilização para a prematuridade. É o chamado Novembro Roxo.

“A prematuridade é uma das principais causas de mortalidade infantil no país e, por isso, é importante a gente ter um mês de mobilização para orientar a sociedade a respeito de como a gente pode prevenir”, frisa a coordenadora da Saúde da Criança, do Ministério da Saúde, Janini Ginani.

Segundo Janini, a prevenção da prematuridade se inicia antes mesmo da gestação, com o planejamento familiar adequado.

Método Canguru

Aqui no Brasil, o Governo Federal possui uma série de medidas estratégicas para conscientizar sobre a prematuridade. Uma das ações de cuidado que marca o Novembro Roxo é o Método Canguru, um modelo de atenção ao recém-nascido criado para minimizar os impactos no desenvolvimento.

O Método Canguru foi criado pelo pediatra Edgar Rey Sanabria em 1979 em Bogotá, na Colômbia. Ele visa, segundo o Ministério da Saúde, a reduzir o tempo de internação e reinternação no primeiro ano de vida, diminuir as taxas de infecção, favorecer o vínculo parental e incentivar o aleitamento materno.

Um dos principais objetivos do Método Canguru é promover o contato pele a pele precoce e o envolvimento da mãe e do pai nos cuidados com o bebê. O método acolhe o bebê e a família, respeitando as individualidades do recém-nascido e dos pais.

Conheça outras vantagens:

– Melhorar a comunicação da família com a equipe de saúde;

– Desenvolver a confiança dos pais no manuseio do bebê mesmo após a alta hospitalar;

– Aliviar o estresse e a dor do recém-nascido de baixo peso;

– Reduzir o tempo de permanência no hospital; e

– Evitar a perda de calor do bebê.

Além de todos esses benefícios, o método, que salva vidas, tem baixo custo para o sistema de saúde brasileiro, por ser uma tecnologia leve e de baixo valor para a unidade de saúde.

Como é feito o Método Canguru

No método canguru, o bebê é colocado contra o peito dos pais, em posição vertical, em contato pele a pele apenas com a fralda. Esse processo ocorre de forma gradativa, ou seja, inicialmente, a criança é tocada para depois ser colocada na posição canguru. Esse método é feito de maneira orientada e é acompanhado por uma equipe de saúde treinada.

Principais causas que podem contribuir para o parto prematuro

Segundo a coordenadora da Saúde da Criança, do Ministério da Saúde, Janini Ginani, hipertensão materna (pressão alta) e infecções são causas que podem levar ao parto prematuro.

“Todas essas questões podem ser identificadas, encaminhadas e tratadas para que evitem aí uma prematuridade. Algumas outras questões não são necessariamente evitáveis, por exemplo, a gestão de gêmeos. Então, essas mulheres devem ser encaminhadas para serviços de referência de gestação de alto risco”, completa Janini Ginani.

 

 

Foto: Agência Brasil

Deixe seu comentário: